Entre Elas

Um diagnóstico chamado ansiedade (Parte 2)

(Relatos de uma mulher cristã que sofre de transtorno de ansiedade e pré-depressão. Nesta publicação, ela conta como está vencendo esta luta. Laura (nome fictício) quer mostrar que transtorno de ansiedade e depressão são patologias que devem ser tratadas e nem sempre significam ausência de Deus e fraqueza espiritual).

Segue Laura em busca da autocompreensão e cura …

Como está sendo difícil!

Laura sente medo da rejeição, desprezo, indiferença e até de ser motivo de risos por seu estado atual. Os ambientes frequentados exigem uma postura forte, segura, decidida, a “Mulher Maravilha” que não tem tempo para as “modinhas comportamentais” do século XXI. Afinal, era uma mulher “super poderosa”, para todos estava tudo bem, menos para ela mesma.

Até quando conseguirei esconder? – Gritava em sua mente. Os sintomas aumentavam rapidamente, a explosão de lágrimas poderia acontecer a qualquer momento sem controle, mas não podia demonstrar “fraqueza”.

Começou a ter seus primeiros sinais incapacitantes, deixando de fazer tarefas simples, cuidar de si, de tudo que amava; com os meses percebeu que estava acostumada com os sintomas, sem reação e motivação. Sua rotina estava comprometida, sua vida desandou e negligenciou o trabalho diversas vezes por não conseguir levantar e enfrentar seus desafios diários.

Laura não tinha forças para viver. Conseguia ser uma boa atriz, pois ninguém percebia sua dor.

Continua…

2 thoughts on “Um diagnóstico chamado ansiedade (Parte 2)

  1. Muito esclarecedor esse relato. Eu sei bem o que é isso. Tive depressão pós-parto e tive uma recaída de 2001 até 2004. E estou há dois anos cuidando de meu filho que atualmente tem 16 anos. Meu filho tem 1,75 e chegou a pesar 47 kilos. Agora está melhor. Tem psiquiatra, psicóloga e endocrinologista auxiliando no tratamento. Ganhou 3 kilos.

    1. Uma luta que não é fácil vencer, mas é possível!
      Exige muita fé e desejo de mudança. O tratamento é fundamental, porque às vezes nem o paciente e a família conseguem compreender a situação e lidar com ela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *